O PREFEITO ELEITO MILTINHO ARAGÃO E OS DESAFIOS PARA ADMINISTRAR SÃO MATEUS





*Por Juvenil Gonçalves

Miltinho, o vice Rogério Garcia e sua equipe de assessores tem um longo desafio para os próximos 04 anos. São Mateus, como qualquer outra cidade Maranhense, faz parte de uma geração de problemas que surgiram nas últimas décadas. O crescimento populacional e habitacional veio de forma desproporcional ao seu desempenho econômico. A mancha urbana veio num ritmo muito mais elevado do que a capacidade de construir infraestruturas, escolas, hospitais, estradas, organização política e social. As necessidades foram aparecendo. Tomarmos-nos uma cidade de 40 mil habitantes em pouco tempo. Dizíamos que São Mateus era “a cidade que mais cresce na região do Médio Mearim” como se fosse uma grande vantagem. Os custos aparecem hoje.

A população que demandou a região urbana era e é em geral população rural empobrecida, e o resultado disso foi a grande expansão de periferias pobres e explosivas. O desenfreamento demográfico ultrapassou amplamente o ritmo de organização política e social, de geração de empregos, de expansão das infraestruturas como já citado no parágrafo anterior. A dinâmica do poder não mudou. Como o poder continuou a concentrar os recursos públicos no seu próprio proveito, geraram-se assim duas cidades: a dos que detém o poder em mãos e a dos pobres que ficam à margem desse poder, tão bem simbolizado hoje nos luxuosos bairros da capital do estado, nas escolas particulares, nas sofisticadas fazendas de gado bovino etc. Administrar São Mateus, sem dúvida é administrar uma série de desigualdades.

Uma política que deu e que vem dando certo em várias cidades do nordeste – inclusive no semiárido - pode ajudar a apontar rumos para uma administração sadia e amenizar os problemas mais críticos que exigem soluções mais imediatas como: trânsito, água, lixo, meio-ambiente, saúde. Em cada uma destas áreas, é possível definir quais as soluções a serem tomadas e criar as articulações. Além de, naturalmente, construir e publicar os indicadores que meçam os impactos sobre a qualidade de vida do cidadão, para que os resultados sejam visíveis e mereçam o apoio político da população.  Ninguém até hoje encontrou a solução mágica para solucionar problemas antigos de administrações públicas. Mas gerar instrumentos concretos de coordenação em função dos problemas mais críticos do ponto de vista dos interesses da população pode ser um bom começo.

Portanto, acreditamos que o prefeito eleito Miltinho Aragão e toda a sua equipe de governo, terá a sabedoria para fazer mapeamento das reais necessidades de São Mateus, dar prioridade às carências dos bairros, ruas, setores, etc. Planejar as ações é dar especial atenção aos detalhes na execução. Levar em consideração o interesse de um bairro, ou de um segmento como saúde, educação, agricultura ou de uma determinada classe social. Dar ampla visibilidade às ações seja qual for o campo de atuação. Divulgar tudo, inclusive o valor gasto, por menor que tenha sido, principalmente para o público beneficiado daquela ação e, sobretudo, prestar contas de todos os recursos de todas as Secretarias, para que seja o mais transparente possível. Não deixar acumular nada, evitar pendências nas prestações de contas, mostrar tudo. O povo tem direito de saber onde são gastos os impostos e taxas que pagam e de onde vêm os recursos usados pelo município em suas obras.

*Criticas e sugestões:  juvenilcosta@gmail.com
 Juvenil Gonçalves, escreve poemas, contos e é colaborar de alguns jornais comunitários. 

1 comentários:

Adeilson Lopes disse...

esperu que o nosso prefeito eleito convoque os guardas municipais logo pois eles estão esperando ha anos pra trabalharem

Postar um comentário

Para fazer comentário use sua Contas do Google como a do gmail, orkut entre outros. Qualquer comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do seu autor.Comentários com palavras ofensivas e xingamentos serão excluídos.É livre a manifestação do contraditório desde citado o titular. De já agradeço.